O que é e como ocorre o eczema agudo das mãos e dos pés?

O eczema agudo das mãos e dos pés é uma inflamação da pele com vesículas e bolhas.

Também conhecido por  disidrose ou eczema disidrótico, essa inflamação causa intenso prurido (coceira). Frequentemente recidiva e a causa geralmente é desconhecida.

Ele contribui com 5% a 20% dos eczemas localizados nas mãos e é mais comum em adultos jovens. Não tem predomínio em relação ao gênero.

Continue lendo o nosso post e saiba mais sobre o eczema agudo das mãos e dos pés!

Qual é a causa do eczema agudo?

A causa do eczema agudo não é identificada na maioria dos casos, mas alguns fatores podem contribuir para seu surgimento, como:

  • Passado de dermatite atópica
  • Contato com substâncias alérgicas, em especial os metais
  • Contato com substâncias que irritam a pele, como detergentes e solventes
  • Ingestão de substâncias contendo níquel e cobalto
  • Reação alérgica a focos distantes do fungo dermatófito (impinge)
  • Fumo
  • Excesso de sudorese
  • Exposição ao Sol (radiação ultravioleta)

Manifestações clínicas do eczema agudo

A primeira manifestação do eczema agudo é o intenso prurido (coceira) seguido pelo aparecimento de vesículas (bolhinhas d’água) de consistência tensa que podem confluir e formar bolhas, nas palmas, face lateral dos dedos das mãos.

Disidrose na palma da mão
Disidrose no dedo
Disidrose no pé

As mãos são afetadas isoladamente em 70% a 80% dos casos.

As vesículas persistem durante 3 semanas, rompem e se transformam em escamas, antes de desaparecerem.

Quando a doença recidiva muito, a pele pode adquirir  um aspecto engrossado (liquenificado), avermelhado, com descamação e fissuras.

Dermatite crônica pós disidrose

Essas manifestações podem permanecer durante meses a anos, precipitadas por ambientes quentes.

O eczema agudo também pode provocar deformidade das unhas, como estrias transversais e mudança da coloração em consequência de crises repetitivas de inflamação da pele ao redor delas, local da matriz (origem) da unha.

Paroníquia crônica pós disidrose

Como a maioria dos eczemas, pode complicar com infecção bacteriana, o impetigo, denunciado pelo aparecimento de pústulas (bolhas de pus) e seguido pela formação de crostas melicéricas (amareladas).

Disidrose infectada

A realização de Teste de Contato sobre a pele é importante para investigar a relação do contato com substâncias alérgicas.

Teste de contato

Tratamento do eczema agudo

É muito importante identificar e evitar o agente causador e o que agrava o eczema agudo, o que, na maioria dos casos, não é possível.

Algumas medidas que podem ser tomadas são:

  • Lavar as mãos com sabonetes especiais
  • Enxugar as mãos imediatamente após lavá-la e, em seguida, aplicar creme hidratante
  • Usar luva de algodão por baixo de luva de borracha ou de vinil
  • Remover relógio, anel e outros objetos de adorno antes de ter trabalho doméstico envolvendo água
  • Aspirar o líquido das bolhas grandes, mantendo o teto delas a fim de evitar dor e prevenir infecção bacteriana

Os casos mais discretos podem ser tratados com a aplicação de corticosteróides com alta potência anti-inflamatória, de 2 a 4 semanas.

Os casos mais severos, podem ser controlados com a ingestão de corticosteróide durante 1 semana, e ir desmamando durante as semanas seguintes.

Lembrando que os corticosteróides, sejam por qualquer via, não devem ser utilizados por tempo prolongado a fim de evitar os efeitos colaterais como atrofia da pele.

Os casos refratários aos medicamentos enumerados acima devem ser tratados com a associação da ingestão de psoraleno e da exposição da radiação ultravioleta A (fototerapia).

Apenas um médico especializado na área pode traçar o melhor tratamento para cada caso. A automedicação pode ter um efeito contrário do desejado e agravar o eczema.

Marque sua consulta conosco e tire suas dúvidas sobre essa inflamação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *