Por que a queimadura solar acontece e como tratá-la?

A queimadura solar da pele é muito comum em países quentes, principalmente durante o verão.

Ela é uma resposta de caráter inflamatório, agudo e transitório à exposição excessiva à radiação ultravioleta oriunda do Sol.

Ela também pode ocorrer pela exposição excessiva às fontes artificiais, como a câmera de bronzeamento e de fototerapia.

Continue lendo o nosso post e saiba mais sobre a queimadura solar.

Incidência da queimadura solar

A queimadura solar é muito frequente, principalmente nos adolescentes e adultos jovens, acontecendo em 70% e 50%, respectivamente.

Cerca de 95% da radiação ultravioleta que atinge a Terra é composta pelo tipo A, enquanto apenas 5% provém da radiação ultravioleta B.

Mesmo assim, a radiação ultravioleta B é a principal responsável pela queimadura solar, também chamada de eritema, contribuindo com 80% da exposição necessária para causá-la.

A radiação ultravioleta A também pode provocar queimadura solar, mas é necessário uma dose 1000 vezes maior para haver a mesma intensidade de queimadura. 

Os fatores de risco para queimadura solar estão relacionados à maior intensidade de exposição à radiação ultravioleta B, como:

  • Proximidade ao Equador (menor latitude)
  • Proximidade do meio-dia
  • Maior altitude
  • Reflexo da neve (90%), da areia (15% a 30%) e da água (5% a 20%)
  • Pele molhada, que tem maiores chances de queimar do que a seca
  • Consumo exagerado de álcool
  • Ausência de nuvens

O que provoca a queimadura solar?

A suscetibilidade à queimadura solar é muito variável entre as pessoas, especialmente aquelas de pele branca. Ela é um forte indicador de tendência de desenvolver o melanoma, o câncer de pele mais perigoso.

Essa susceptibilidade é avaliada pela dose eritematosa mínima, ou seja, a menor dose de radiação ultravioleta capaz de produzir um eritema (vermelhidão) no local que recebeu a radiação.

A intensidade é o que orienta o fator de proteção solar informado nos filtros solares, FPS 20, 30, etc, e nas câmeras de fototerapia.

Vale ressaltar que a ingestão de certos medicamentos pode tornar a pele mais sensível à queimadura solar, como antidepressivos, diuréticos, anti-hipertensivos e antibióticos, assim como o contato com o suco de limão, castanha do caju e perfumes.

Manifestações clínicas da queimadura solar

Três a cinco horas após a exposição solar surge eritema (vermelhidão), que atinge seu pico em 12 a 24 horas e diminui em 72 horas,

Queimadura solar

acompanhado da sensação de dor tipo queimação, desencadeado pelo calor e pressão sobre a pele.

Essa vermelhidão desaparece em 3 a 7 dias.

A queimadura solar mais intensa se manifesta pela formação de inchaço, vesículas (bolhas pequenas) e bolhas.

Queimadura solar com bolha

Os casos mais graves podem ter manifestações do tipo:

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Vômito
  • Desidratação

A descamação da pele e bronzeamento são observados após quatro a sete dias.

Manchas marrons, frequentemente com as bordas irregulares, surgem na pele exposta ao Sol, tardiamente, conhecidas como lentigo solar.

Lentigo solar

Prevenção e tratamento da queimadura solar

A prevenção da queimadura solar é muito importante para evitar o envelhecimento e o câncer de pele, através do uso regular de filtro solar e de roupas especiais, além de evitar a exposição direta no horário de 10 às 16 horas.

As crianças menores de 6 meses devem ser mantidas longe da exposição direta ao Sol. Também recomenda-se que elas utilizem chapéu de aba larga.

As câmeras de bronzeamento artificial, mesmo utilizando a radiação ultravioleta A, que queima menos a pele do que a radiação ultravioleta B, não protegem contra o risco de queimaduras solares.

Além disso, elas induzem o envelhecimento e o câncer de pele, especialmente o melanoma.

Para o tratamento, é bom utilizar compressas frias, loção de calamina, gel à base de aloe vera para promover o alívio da dor. As bolhas rotas devem ser limpas suavemente com água e sabonete e aplicar curativos.

A aplicação de corticosteróide com alta potência anti-inflamatória e a ingestão de anti-inflamatórios não hormonais podem aliviar a inflamação da pele.

Os casos com graves queimaduras podem necessitar de hospitalização para combater a desidratação, por via venosa, além de anestésicos, também por via parenteral. Por isso, ao sofrer de queimadura solar, recomendamos consultar um médico especializado para checar o melhor tratamento para o seu caso.

Conte conosco para isso! Marque sua consulta na ProntoPele e tenha um atendimento de qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *